Aprenda a preparar Bacalhau para a Semana Santa


Na Semana Santa, por motivos religiosos não se come carne vermelha. É o momento máximo do consumo de peixe, que, segundo muitos nutricionistas, além de ser rico em proteínas, é bem mais saudável. 

O bacalhau é um peixe  salgado, seco e naturalmente preparado, conservando todas as propriedades do peixe fresco. É nutritivo, saboroso, de fácil digestão, rico em minerais e vitaminas, e com colesterol quase zero. É saudável e totalmente natural. 

     Um dos peixes mais nobres e procurados na Semana Santa é o bacalhau. Muita gente acha que o peixe vem da Noruega, mas na verdade, o tradição do bacalhau é portuguesa.  Como o peixe, pescado em alto mar, de 100 a 400 metros de profundidade em águas frias, era largamente exportado de Portugal para a Noruega, os nórdicos acabaram levando a fama. Alexandre Maciel Lopes, do Empório Japesca, diz que nesta época a receita que mais se faz é o Bacalhau a Gomes de Sá, na mais legítima tradição portuguesa. Ele explica também que o peixe tem que ser “bem graúdo e carnudo” e que o lombo é a parte nobre. O rabo, desfiado, é de onde se retiram as fibras para fazer principalmente bolinho e salada de bacalhau. 

     Já Ademir Sauer, proprietário de uma Banca do Mercado, diz que a maior parte do bacalhau, hoje, é importado da Noruega. A carne é das mais saudáveis, rende bastante, além de combinar com batata, arroz, com feijão, sendo muito saboroso. Ele recomenda que o bacalhau seja guardado de uma forma refrigerada. Islândia, Rússia, Canadá são os principais países onde o bacalhau é pescado, por suas águas geladas e profundas, informa Ademir. E garante que, na média os preços do bacalhau do Mercado, são de 20 a 30% mais baratos que nos supermercados. Ademir também informa que apesar de mais caro, o que mais vende é o bacalhau do estilo Porto.

Tipos de Bacalhau

Cod Gadus Marthua – É o legítimo bacalhau, também conhecido no Brasil como Porto,  Portinho ou Codinho. É pescado no Atlântico Norte e considerado o mais nobre bacalhau. Geralmente é o maior, mais largo e com as postas mais altas.
Bacalhau Macrocephalus – Também chamado de Bacalhau do Pacífico, tem a sua comercialização no Brasil ainda muito recente, de 10 anos para cá. Suas principais diferenças: não se desmancha em lascas, é fibroso e não tem o mesmo paladar do Cod.
Saithe – É um tipo mais escuro e de sabor mais forte. Muito mais barato que o Cod, é o tipo mais importado atualmente e é o campeão de vendas no nordeste brasileiro. Muito utilizado em bolinhos, saladas e ensopados porque, quando cozinha sua carne desfia com facilidade.
Ling – Este tipo de bacalhau se caracteriza por ser bem mais claro e mais estreito que os demais. Tem um bom corte e é muito apreciado no Brasil. Sua carne é clara, bonita e por isso atrai muito compradores.
Zarbo – Considerado o mais popular, sendo que os peixes desta espécie são bem menores que os demais. Ótimo para o preparo de pratos desfiados, caldos, pirões e bolinhos.

O preparo do bacalhau
     Corte o peixe em pedaços, deixando-os de molho em água de 12 a 24 horas. Período este que poderá ser prolongado, caso o peixe seja muito grosso. Ou, ainda, para os casos em que um sabor mais discreto for indicado. Mude, então, de água e cozinhe o bacalhau de 5 a 10 minutos. Depois destes procedimentos as espinhas serão facilmente retiradas e o bacalhau, preparado a gosto.
Obs.: 1 kg de bacalhau seco e salgado corresponde a pelo menos 2,5 kg de peixe fresco.

Bacalhau é um ingrediente muito utilizado em pratos típicos portugueses, e foi incorporado à nossa alimentação ao longo dos tempos, incrementando cardápios em datas festivas como Páscoa, Natal e Ano Novo. Além de ser servido como prato principal, também pode ser um acompanhamento ou um apertivo, como é o caso do Arroz de Bacalhau e o Bolinho de Bacalhau. Segue abaixo algumas receitas para você se deliciar...Bom apetite!!!












Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...